Dúvidas? Utilize nosso canais de atendimento 31 3327 5763 31 9 9586 1119
11 jan

Introdução alimentar das crianças

O leite materno é o alimento responsável pela nutrição da bebê durante seus 6 primeiros meses de vida, pois contém todos os nutrientes que um bebê precisa para crescer saudável: proteínas, carboidratos, hormônios, vitaminas, minerais, anticorpos, entre outros nutrientes. Além de proteger o bebê contra doenças crônicas, doenças agudas, diabetes mellitus, entre outras,  o leite materno também ajuda a desenvolver o mecanismo de saciedade nos bebês.

Depois dos 6 primeiros meses de vida é necessário complementar a alimentação da criança com alimentos sólidos, para complementar a dieta do bebê com nutrientes que faltam ou tem em pouca quantidade no leite materno. A partir desse momento a criança começará a ser exposta a um novo mundo de sabores e texturas alimentícias.

Porém, para que essa introdução alimentar seja realmente saudável, é necessário prestar atenção em algumas questões importantes:

Perceba se o bebê está realmente preparado: Algumas habilidades são capazes de nos mostrar se o bebê já está pronto para receber alimentos sólidos, como sentar sozinho e pegar e levar objetos para a boca. Outra observação que se deve fazer é sobre o reflexo da língua do bebê. Sabe quando colocamos algo na boca dele e ele empurra com a língua, como se estivesse afastando a comida? Quando a criança começa a perder esse reflexo é um sinal de que ela está preparada para receber alimentos sólidos.

Ofereça diversos alimentos para o bebê: Esse é a fase que a criança está formando seu paladar e seus gostos, por isso é preciso oferecer diversos legumes, verduras e frutas para que ela fique habituada com os sabores e ajude na sua aceitação no futuro. E lembre-se: não adianta forçar a criança a comer verduras e legumes se os pais não comem. Você ensina a criança a comer saudável ao comer saudável. Então se ainda não começou a se alimentar melhor, comece!

Não tenha pressa: Algumas crianças podem rejeitar o alimento uma, duas, três vezes… e isso é normal. Outras já podem aceitar os novos alimentos de primeira, sem estresse algum. Vale lembrar a importância de respeitar o tempo da criança e não forçá-la a comer sem vontade. Aos poucos ela vai aceitando os alimentos diferentes.

Não tenha medo de deixar a criança provar sabores marcantes: É importante que a criança prove de tudo: alimentos amargos, azedos, doces e salgados. Ela deve prová-los para formar seu paladar e se ela não gosta de algum, não tem problema, é só tentar outro alimento.

Deixe a criança curtir as refeições: sabe aquela cena clichê de filme com uma criança toda lambuzada de comida? Não se assuste! Deixar a criança participar das refeições pegando os talheres e alimentos também é muito importante nessa fase, desde que respeitando a segurança da criança, claro.

E o leite materno? Para ou continua? Ele continua, afinal ele ainda é o principal alimento dos bebês nessa idade. Você pode oferecer o peito após a criança comer os alimentos sólidos de forma para complementar a refeição.

Por fim, lembre-se que manter um acompanhamento com uma pediatra e nutricionista é essencial para garantir a saúde do seu bebê. Para isso, conte com nosso corpo clínico cuidar de você e de seu filho!

Agende agora sua consulta!